Header Ads

A capital Manaus e Iranduba, na Região Metropolitana, serão atendidas pelas cheias e receberam verba do Governo Federal, infelizmente o bolo não é para todos do Estado.

MANAUS – G1 - Duas cidades afetadas pela cheia dos rios no Amazonas receberão recursos federais para a execução de ações de socorro, assistência às vítimas e restabelecimento de serviços essenciais. A capital Manaus e Iranduba, na Região Metropolitana, serão atendidas. A portaria que autorizou o aporte financeiro foi divulgada no Diário Oficial da União, na sexta-feira (4).
O município de Manaus receberá R$ 1.286.372,00. A capital é uma das 46 cidades que decretaram situação de emergência em razão da cheia deste ano. Ao todo, 11 bairros na área urbana e 24 comunidades na Zona Rural estão alagadas. Na área central da cidade, duas ruas foram interditadas por conta do alagamento.
A Defesa Civil Municipal informou que montou um plano de auxílio às famílias atingidas.
O valor de R$ 613.800,00 será destinado à cidade de Iranduba, que também está em emergência e razão da enchente. Na cidade amazonense, além de transtornos às famílias, a cheia afetou o setor cerâmico na cidade, que teve queda de 40% na produção em razão da enchente dos rios no estado.

"Considerando a natureza e o volume de ações a serem implementadas, o prazo de

Execução das obras e serviços é de 180 dias, a partir da publicação desta portaria", diz o Ministério.

Cheia
Segundo a Defesa Civil do Estado, 46 municípios do Amazonas estão em situação de emergência e quatro em situação de alerta. Boca do Acre e Anamã decretaram estado de calamidade pública.

Anamã

Uma forte chuva, nesta terça-feira (23), causou impactos na cidade de Anamã, a 168 km de Manaus. Conforme a Defesa Civil, parte de uma escola desabou e sete famílias ficaram desabrigadas após casas apresentarem risco de desabamento. Todos os imóveis já estavam inundados pelo Rio Solimões. A enchente atingiu 100% do município, que entrou em estado de calamidade pública na sexta-feira (19). Famílias foram alojadas em um barco. Ao todo, quatro casas foram afetadas, na Comunidade Vila Nova. Segundo a Defesa Civil do Município, as residências perderam o assoalho durante o temporal, além de já apresentarem danos estruturais causados pela enchente.
Conforme o órgão, as 28 pessoas que residiam nas casas foram retiradas do local. Elas foram realocadas em um barco do Estado, que serve de abrigo para outras vítimas das cheias.


Além das casas, o muro da Escola Municipal Bom Jesus, localizada na Comunidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, também em Anamã, chegou a desabar durante a forte chuva. Com cerca de um metro de alagamento, as aulas no local haviam sido suspensas no início de junho. Ninguém ficou ferido.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Patrocinador

Mídia Social Ronaldo Aleixo . Tecnologia do Blogger.