Header Ads

PSDB tem Doria e Matarazzo no segundo turno para candidato à prefeitura de SP

SÃO PAULO - O empresário João Doria e o vereador Andrea Matarazzo vão disputar o segundo turno para candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PSDB. Após sete horas de apuração, o representante do diretório tucano em São Paulo, o vereador Mario Covas Neto, anunciou que ambos tiveram maior quantidade de votos nas prévias realizadas neste domingo (28) na capital paulista. O deputado federal Ricardo Trípoli ficou em terceiro lugar.

Dos 58 diretórios zonais, 55 contabilizaram 6.216 votos. Os três diretórios restantes foram os do Tatuapé, Jaçanã e Pirituba que, por terem apresentado problemas, não apareceram na conta. Mas isso não interfere no resultado final porque somados eles têm apenas 260 votos.

João Doria recebeu 2.681 votos (43,13%), enquanto Andrea Matarazzo teve 2.045 (32,89%). Já Trípoli obteve 1.387 votos (22,31%). Segundo Covas Neto, foram 102 votos em branco e apenas 1 nulo.
O número de militantes que participou da votação diminuiu em relação a 2012, que teve 6.229 votos e foi decidida no primeiro turno. Na previsão de Mario Covas Neto, haveria 10 mil votos neste ano.
O último tucano a comandar a capital paulista foi o atual senador José Serra, que abandonou o cargo em março de 2006 para concorrer ao governo do Estado de São Paulo e deixou a cadeira para seu vice na época, Gilberto Kassab.
Nas eleições de 2008 e 2012, o partido tentou voltar à Prefeitura com Alckmin e Serra como candidatos, respectivamente, mas fracassou nas duas vezes.
O segundo turno para decidir o candidato do partido à Prefeitura vai ocorrer no dia 20 de março.
Confusão
No diretório do Tatuapé, houve registro de agressões e vandalismo, que teve uma urna quebrada como resultado. O local foi invadido por um grupo de pessoas não identificadas que quebrou um computador onde estava ocorrendo a votação. Uma confusão generalizada se iniciou e a Polícia Civil foi acionada. A votação terminou mais cedo e a urna danificada precisou ser retirada sob escolta dos soldados da Polícia Civil.
Impugnação do nome de João Doria
O ex-governador Alberto Goldman e o presidente do instituto Teotônio Vilela, José Aníbal decidiram encaminhar um pedido de cancelamento do nome de Doria à executiva municipal do partido. Eles alegam que o empresário cometeu abuso de poder econômico, propaganda irregular, transporte de eleitores no dia da votação e infrações da lei da Cidade Limpa. Além disso, os adversários querem que o partido adote sanções disciplinares contra Doria.
Sobre a petição, Mario Covas Neto disse que ela será analisada posteriormente em reunião pela Executiva do PSDB. João Doria diz que seguiu o acordo feito pelos pré-candidatos.
*Com informações da Agência Estado



Nenhum comentário:

Patrocinador

Mídia Social Ronaldo Aleixo . Tecnologia do Blogger.