Header Ads

Brasil: País de políticos corruptos contra a tecnologia, por Marcus Melo

BRASIL - O ser humano é impressionante avança por causa da tecnologia de modo cada vez mais eficiente e barato. Acontece que nossos políticos interpretam um Brasil incapaz de avançar e parecem desmerecer um eventual avanço tecnológico como melhoria social por interesses pessoais coniventes com o corporativismo.


Tente imaginar um cenário sobre a sociedade brasileira, como ela funciona?
A população brasileira entendida de um ponto de vista geral funciona mais ou menos assim:
Sabe-se que existem níveis de sociedade: o pobre, a classe média, o rico, o multimilionário e os bilionários.

A classe média, tem empresas menores que pretendem ascender no mercado, mas enquanto não sobem de nível sofrem o maior impacto dos impostos como mercearias, tapeçarias, padarias, materiais de construção, lojas de roupas, etc.

Os ricos, que administram empresas maiores com cargos excelentes gerando mais lucro para estas empresas, diminuindo portanto, o risco de falir de tal empresa fazendo também um lobby político. Entram nessa classe os políticos e o judiciário, porém eles estão também na parte dos multimilionários e, até mesmo bilionários por favorecer o monopólio.

Os multimilionários e bilionários, os que não são políticos tem empresas multinacionais, mas no “caso Brasil” alguns tem sua maior fonte de renda nacionalmente, pois os monopólios estatais lhes garantem um lucro permanente com um produto ruim, já que os políticos dominantes (Os grandões mesmo, alguns governadores, Presidência da República, somente alguns deputados federais [porque a maioria é inútil], e as famosas Raposas Velhas/Coronéis de Barranco) lhes garantem isso.

O pobre é o sangue do sistema, sem o sangue nada se movimenta. O fluxo é constante, mas se o corpo alimentar-se de forma inadequada por muito tempo a pressão sobe/desce, as veias são entupidas e o corpo morre subitamente por conta de uma série de excessos causados pelo corpo.
(Falta muita coisa ainda, mas deixemos assim para melhor entendimento)
Sendo assim, imaginemos uma cena comum, por exemplo, no segmento da construção civil: 10 mil homens trabalhando para construir casas populares.  
Existe uma tecnologia que permite literalmente IMPRIMIR casas com TERRA (96%) mais alguns pouquíssimos outros materiais (4%) e isso tudo com um custo de R$ 3,500 ou $ 1000.    https://br.noticias.yahoo.com/impressora-3d-faz-casas-populares-com-terra-por-r-162344814.html. Isso é impressionante não?

Entretanto, e os 10 mil homens que ficariam desempregados por causa de uma substituição da mão de obra deles por esta tecnologia? Como 10 mil famílias se alimentariam sem esses empregos e como poderíamos ampará-los?

Não bastasse esse fator social mexemos também com outras coisas como: acordos de políticos com empreiteiras, onde há garantias de licitações bilionárias em obras feitas para o governo federal/estadual/municipal. Atingindo assim, em cheio um sistema corrupto corporativista (corporativismo não é livre mercado: é acordo entre empresas e políticos para a hegemonia de um grupo empresarial, político, sindical, etc., no mercado através de cartéis institucionalizados por lei) sem contar também com o sistema jurídico que em muitas vezes favorece as empresas nos processos trabalhistas evitando indenizações de centenas de milhares de reais.

Casos como esse ocorrem em todo o país em vários níveis e segmentos, principalmente na questão de infraestrutura, como o exemplificado acima. A maior parte das licitações, em todas as áreas da economia onde entra intervenção estatal existe este conluio.
Sendo assim, vamos para o saber popular: o político corrupto ama as mazelas para chegar nas eleições de 4 em 4 anos reclamar dos problemas que ele mesmo deixou e ser reeleito comprando votos. Tudo isso com o dinheiro que ele pegou do empresário, que pegou da licitação bilionária, que o governo pagou para o empresário, através dos impostos que você paga. Ou seja, você que recebe dinheiro está recebendo uma pequeníssima parcela do que você deu pro governo durante 4 anos.

Percebeu como isso fica girando no mesmo lugar e acabamos ficando sem avançar? Mas existem soluções, quer ver?

Lembra-te dos construtores civis que falei no meio do texto que ficariam desempregados? Uma opção para aqueles 10 mil trabalhadores é capacitá-los em competência técnica de energia solar. Um mercado que vem crescendo no Brasil:

Dá pra encaixar também na construção de adaptações municipais para um novo tipo de tratamento de água no Brasil:
E mudar a educação para uma que seja empreendedora:

É ano eleitoral nem todos os políticos são iguais, pesquise e vote nos que tem melhores propostas. Se ele não quiser lhe comprar já é um bom começo porque demonstra que ao menos terá uma obrigação com cada “voto de graça” que recebeu de um povo que está cansado de sofrer, de preferência, vote em quem quer favorecer uma parte tão fundamental que é o desenvolvimento nacional através de tecnologias vitais.
FONTE : Marcus Melo, Coordenador Local do Estudantes Pela Liberdade, membro ativo do Movimento Papo de Direita, acadêmico da UFAM.

Nenhum comentário:

Patrocinador

Mídia Social Ronaldo Aleixo . Tecnologia do Blogger.