Header Ads

QUEREM MELAR A LAVA JATO - Ministro demitido acusa Padilha de ser superministro e disse que não foi "subserviente" à Casa Civil

BRASIL - O ex-advogado-geral da União Fábio Medina Osório disse em entrevista ao jornal "O Estado de S. Paulo" que sofreu uma "tentativa de desconstrução pública" depois do ajuizamento de ação de improbidade contra empreiteiras envolvidas na Lava Jato. Demitido pelo presidente Michel Temer, Medina disse que não foi "subserviente" à Casa Civil e lançou dúvidas se a sua sucessora, Grace Mendonça, terá "autonomia" à frente da pasta.
"Ninguém que está no Poder tem cheque em branco para governar", afirmou Medina.
O ex-advogado-geral da União também disse também que o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, concentra tantos poderes a ponto de se tornar um superministro. "Um governo com superministro acaba mal", disse Medina, em entrevista por e-mail.
O senhor credita à atuação da AGU na Lava Jato o seu desgaste com o governo. Os problemas começaram após o pedido de compartilhamento dos inquéritos sobre a Lava Jato que tramitam no STF?
Não pude aceitar uma tentativa de ingerência, especialmente do ministro Padilha, na minha atuação. Ele tem um ponto de vista distinto do meu e a divergência se tornou inconciliável. Reconheço que para ele também meu estilo se tornou perturbador. Não fui um AGU subserviente.
Mas o que efetivamente aconteceu?
Houve um processo de tentativa de desconstrução pública da imagem do AGU. A AGU ajuizou esta ação [de improbidade contra empreiteiras na Lava Jato] sem consultar a Casa Civil, e tal circunstância criou enorme desgaste interno no governo. Houve uma brutal investida da máquina governamental contra o AGU. Não tive acesso ao presidente Temer nesse período de gestão.
O senhor avisou o governo que pediria ao STF acesso aos inquéritos contra políticos para viabilizar ações de improbidade?
Não avisei o governo, pois entendi que era atribuição inserida na autonomia técnica do advogado-geral da União. Minha dúvida é se a nova AGU terá autonomia para acessar esse material ou protocolará uma petição de reconsideração.


Nenhum comentário:

Patrocinador

Mídia Social Ronaldo Aleixo . Tecnologia do Blogger.