Header Ads

Em nota, Suhab do Amazonas desmente denúncias de nepotismo feitas ao MPE

AMAZONAS - Em razão  de  denúncia  protocolada  junto  ao  Ministério  Público  do  Estado  do  Amazonas (MPE-AM),  sobre  um  suposto  esquema  na  Superintendência  Estadual  de  Habitação  (SUHAB),  a autarquia vem  a  público  esclarecer  que: 

1.  Ao  contrário  do  que  foi  afirmado  em  sites  de  notícia  e  no  próprio  resumo  da  denúncia  do MPE-AM,  a  SUHAB  não  exonerou  51  e  nem  30  servidores  de  cargos  comissionados,  mas  apenas 21.  Como  se  trata  de  cargos  de  confianças,  o  órgão  observa  que  a  contratação  de  novos servidores  é  natural  com  a  mudança de  comando, com  a  que  ocorreu em  maio  deste  ano. 

2.  Sobre  o  suposto  caso  de  nepotismo  envolvendo  o  diretor  financeiro  Gustavo  Cardoso  Maia com  o  diretor  presidente  da  SUHAB,  coronel  Nilson  Cardozo,  o  órgão  esclarece  que  não  há nenhum  grau  de  parentesco  entre  eles,  uma  vez  que  se  trata  apenas  de  uma  coincidência  de sobrenomes. 

3.  Sobre  a  indicação  de  que  a  SUHAB  estaria  contratando  pessoas  sem  qualificação  “da Assembleia  de  Deus”,  o  diretor  presidente  da  autarquia  esclarece  que  as  escolhas  do  novo quadro  de  pessoal  são  estritamente  técnicas.  Informa  ainda  que  a  maioria  são  católicos  e observa  que  nada  impediria  a  contratação  de  pessoas  qualificadas,  membros  da  igreja Assembleia de  Deus. 

4.  A  respeito  dos  casos  de  exonerações  de  pessoas  que  estavam  de  férias  ou  de  licença maternidade,  a  autarquia  afirma  que  não  nenhuma  das  exonerações  efetuadas  neste  período se  enquadram  na  forma  da  denúncia.  O  órgão,  por outro  lado,  afirma  que  há  situações  em  que servidores  pediram  férias,  mas  elas  foram  negadas  por  conta  da  exoneração.  Sobre  casos  de exonerações  de  pessoas  com  licença  maternidade,  a  SUHAB  afirma  que  se  trata  de  uma inverdade,  uma  vez  que  o  órgão  segue  o  que  rezam  as  regras  trabalhistas  e  o  Estatuto  do Servidor. 

5.  Quanto  a  parte  da  denúncia  de  que  a  servidora  Waleska  Alcântra  de  Castro,  hoje  chefe  do Departamento  dos  Serviços  Sociais  (Prosamim  e  SUHAB),  a  autarquia  informa  que  o  Estatuto  do Servidor  não  impede  que  a  mesma  assuma  a  função  por  não  ter  curso  superior  de  Assistência Social. 

6.  Por  fim,  o  diretor  presidente  da  SUHAB  informa  que  até  o  momento  o órgão  não  foi  notificado pelos  MPE-AM  para  prestar  mais  esclarecimentos,  no  entanto,  afirma  que  todos  os  cargos exonerados  serão  devidamente  indenizados  em  tempo  hábil,  com  os  valores  correspondentes aos dias  trabalhados,  pela  Secretaria  de  Estado  de  Administração  e  Gestão  (Sead).

Fonte Portal dos Bares

Nenhum comentário:

Patrocinador

Mídia Social Ronaldo Aleixo . Tecnologia do Blogger.