Header Ads

Prefeitura de Figueiredo anuncia aumento de salário para professores efetivos do município

AMAZONAS - Professores concursados da rede municipal de ensino de Presidente Figueiredo terão reajuste salarial a partir deste mês.
O projeto de lei, de autoria do prefeito Romeiro Mendonça, foi aprovado na Câmara Municipal na tarde desta sexta-feira (12), com aumento de 6,81% para os profissionais da educação.

“Essa é uma grande conquista para os professores, que estão em luta constante por remunerações mais justas e contribuem de maneira brilhante para a educação das nossas crianças e jovens. Apesar do cenário de crise econômica, não podemos deixar de resolver problemas internos como esse, que se arrastavam por alguns anos sem resposta ou perspectiva de resolução”, ressaltou Romeiro Mendonça.

Na mesma sessão, também foi aprovado o reajuste de 3,34% para os demais servidores municipais efetivos. "Assim, todos saem ganhando, com a valorização fazem por merecer, todos os dias, no desempenho de suas valorosas atividades no serviço público", acrescentou o prefeito.

Obras

Nesta semana, uma série de obras e medidas para a área educacional em Presidente Figueiredo foi anunciada pelo prefeito Romeiro Mendonça e o vice-prefeito Mário Abrahão. Entre as principais ações anunciadas, os gestores garantiram reforma e ampliação de sete escolas da zona rural em janeiro e ainda a criação de uma escola de tempo integral.


No ano passado, a prefeitura reformou 13 escolas do município, a maioria localizada na sede da cidade. Neste ano, as reformas prosseguem tendo foco nas comunidades rurais.

A primeira escola a receber reparos será a unidade de ensino da comunidade da Morena. Também serão ampliadas e reformadas a Escola Municipal Santa Terezinha, localizada no ramal do Canoas, a Escola Municipal Fernandes Silva Nascimento, na comunidade Boa Esperança, a Escola Municipal José Assunção de Lima, na comunidade Jardim Floresta, além da Casa dos Professores, alojamento dos docentes.

Uma das escolas rurais mais precárias está localizada na comunidade Maracarana, conforme explica o vice-prefeito Mário Abrahão. “Naquela localidade, o que se vê são estruturas de madeira, que não dão condições dignas de estudo, sem portas, expondo os alunos à chuva e ao sol. Um ambiente completamente insalubre”, afirmou.

Nenhum comentário:

Patrocinador

Mídia Social Ronaldo Aleixo . Tecnologia do Blogger.