Header Ads

Coronel da PM manifesta irritação pela comoção e quase canonização pela morte da inimiga e perseguidora da Polícia, a Ver. Marielle Franco

BRASIL - Washington Lee Abe, coronel da Polícia Militar, manifestou irritação com a comoção popular em torno da morte da vereadora Marielle Franco, executada na última quarta-feira (14).

Em carta divulgada por ele próprio, o coronel sugere que Marielle não representaria o que chamou de “cidadãos de bem” da sociedade brasileira.

“Por que tanta tentativa de transformar essa vereadora em mártir? Ela representa o povo? Que povo? Qual segmento do povo? Do cidadão de bem?”, questiona Abe.

“E quando morrermos em combate, tentando salvar uma vida inocente que clama pela nossa presença, vamos aguardar pacientemente os políticos, a imprensa, autoridades que estão fazendo todo esse alarde pela morte dessa ‘pessoa’ intitulada vereadora, promotora dos direitos humanos, mãe, homossexual (como ela mesma se apresenta) fazerem também o mesmo alarde exigindo respostas rápidas e firmes das autoridades? 

O mais incrível é declararem em coro que os matadores ‘sabiam atirar’, insinuando serem policiais”, prosseguiu o policial.

Marielle Franco era conhecida pela sua militância contra a violência policial nas comunidades carentes. A vereadora era, inclusive, relatora da comissão que acompanha a intervenção militar no Rio. Milhares de pessoas foram às ruas ontem nas principais cidades brasileiras para homenagear a parlamentar.

Washington Lee Abe é comandante do 5º Comando Regional da Polícia Militar do Paraná (PR).

Nenhum comentário:

Patrocinador

Mídia Social Ronaldo Aleixo . Tecnologia do Blogger.