Header Ads

"Amor a Causa Própria" - ADS privilegia empresa ligada à titular da Sepror (José Aparecido dos Santos) e deixa cooperativas de fora do Preme

AMAZONAS - Criado em 2009 para que produtores familiares e cooperativas participassem das licitações da merenda e do mobiliário escolar, o Preme (Programa de Regionalização do Mobiliário e Merenda Escolar) têm sofrido uma inversão de prioridades este ano. Isso demonstra claramente que, ao contrário do que diz a propaganda institucional, de que o amor à causa pública fez com o que o interior saia do abandono, fica apenas na propaganda.

Sob a responsabilidade da Agência de Desenvolvimento Sustentável (ADS), ligada à Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror), a empresa KS Comércio de Produtos Alimentícios Eireli tem sido beleficiada nas compras efetuadas, além de outras distribuidoras como Manaós Indústria e Comércio de Polpas Ltda e a Muito Mais Comércio de Alimentos e Serviços de Publicidade e Eventos Ltda. Conforme constatamos junto ao site da Transparência do Governo.

Conforme apuramos, a KS Comércio tem em seu CNPJ principal o comércio de ferragens e ferramentas e tem como um dos sócios Kleber Souza, casado com a secretária do titular da Sepror, José Aparecido dos Santos. Este, por sua vez, é um dos sócios da empresa Estância Amazonas, de Garça, interior de São Paulo, e produtor de polpa de frutas e maior fornecedor da KS, embora sua atividade principal seja transportes.

A KS já recebeu R$ 1.536.759,00 este ano da ADS, de acordo com o site da Transparência, enquanto uma das maiores cooperativas de produtores rurais, a Ascoope, do Novo Remanso, não teve nem 10% desse valor em polpas compradas pelo estado. A diferença entre as duas empresas? A diferença entre a ASCOOPE e a KS, é que a Ascoope possui mais de 400 produtores de base familiar que vive de produção agrícola e possui uma agroindústria local. A KS apenas distribui produtos que compra do sudeste do País.

De acordo com o que apuramos, a KS compra sua polpa em São Paulo. Mais exatamente da empresa Estância Amazonas, que tem como atividade principal transportes. A KS, por sua vez, tem como atividade principal o comércio de ferragens e ferramentas. Um dos sócios da Estância Amazonas consta o nome de José Aparecido dos Santos, atual titular da Secretaria de Estado da Produção Rural.

Não bastasse o desvirtuamento do programa, que visava fortalecer a economia dos pequenos agricultores e cooperativas, também há o claro direcionamento dos recursos para empresas que sequer geram empregos no Amazonas e, o que é mais grave, envolve gestores públicos que administram a verba do Preme e empresas que sequer deveriam participar dos certames do fornecimento de merenda escolar, pois não são produtoras de absolutamente nada.

Fonte: Portal dos Barés

Nenhum comentário:

Patrocinador

Mídia Social Ronaldo Aleixo . Tecnologia do Blogger.